Home

Diocese | Comissões Diocesanas de Pastoral

Coordenação Diocesana de Pastoral - "A Coordenação Diocesana de Pastoral é um Serviço eminentemente Pastoral, responsável pela animação e articulação pastoral que, atenta à realidade e aos desafios da evangelização, acompanha as diferentes ações e os diversos serviços possibilitando que a ação da Igreja responda aos apelos do povo de Deus, na Diocese, para que haja uma caminhada pastoral marcada pela unidade, comunhão e participação."

 

Coordenador Diocesano de Pastoral: Pe. Reginaldo Martins da Silva

 

Colegiado de Pastoral

Comissões Diocesanas de Pastoral


Selecione as comissões abaixo e veja seus projetos:

Comissão Diocesana para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada
Acesse a página da Comissão

 

OBJETIVO GERAL

Despertar e conscientizar o cristão de sua vocação na Igreja, na família e na sociedade, levando-o a uma adesão plena a Jesus Cristo e incentivando a compreensão da vocação cristã como dimensão de toda pastoral a ser concretizada nos diversos serviços e ministérios.

 

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

a)      Promover e despertar o discernimento e o acompanhamento das vocações sacerdotais, religiosas e consagradas na Diocese, ao valorizar os diferentes carismas das congregações religiosas masculinas e femininas presentes na Diocese;

b)      Conscientizar a Diocese em seus diferentes níveis, de que na Igreja todos são responsáveis pelas vocações;

c)      Contribuir com a formação e organização dos agentes da pastoral vocacional através de cursos, reuniões e visitas periódicas às equipes responsáveis pelo serviço de animação vocacional, inclusive nas regiões e paróquias em que não haja equipes;

d)      Realizar encontros vocacionais para adolescentes e jovens, valorizando o número expressivo de coroinhas na Diocese.

 

PISTAS DE AÇÃO

a)      Promover encontros e retiros vocacionais periódicos para adolescentes e jovens, a partir de subsídios específicos;

b)      Acompanhar a formação das equipes paroquiais de pastoral vocacional;

c)      Valorizar o Dia Mundial de Oração pelas Vocações e o Mês Vocacional, produzir subsídios vocacionais para as paróquias e para que ocorra uma pratica maior na ação pastoral em prol das vocações;

d)      Divulgar as casas de formação da Diocese: Seminário Menor, Casa Propedêutica e o Seminário Diocesano, estimulando a colaboração do povo na manutenção das mesmas através da Pontifícia Obra das Vocações Sacerdotais (OVS);

e)      Agilizar a integração da pastoral vocacional na Pastoral de Conjunto com especial ênfase à Pastoral Familiar;

f)       Apoiar e incentivar a participação das paróquias na Festa Anual do Seminário Diocesano como momento forte de trabalho em favor das vocações;

g)      Buscar integração das Congregações Religiosas para que coloquem os carismas a serviço da promoção vocacional diocesana.

Comissão Diocesana para o Laicato
Acesse a página da Comissão

 

OBJETIVOS GERAL

Incentivar a organização e a articulação dos leigos católicos nos diferentes níveis da Diocese, e, assim, fomentar o crescimento e ação em cada região enfatizando a consciência missionária.

 

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

a)              Definir a identidade e atribuições próprias do Conselho Diocesano de Leigos e a articulação com as demais comissões diocesanas de pastoral;

b)             Estimular a participação permanente dos leigos católicos nos processos de planejamento, decisão, execução e avaliação da ação evangelizadora da Diocese, ao fortalecer o protagonismo dos leigos na Igreja e na sociedade;

c)              Criar e apoiar mecanismos de formação e capacitação que ajudem os leigos católicos a descobrirem sua identidade, vocação e missão com vista à construção de uma sociedade justa e fraterna.

 

PISTAS DE AÇÃO

a)      Articular e integrar movimentos, associações, novas comunidades, entidades com expressão diocesana, para favorecer uma unidade e comunhão mais efetiva dos leigos em torno dos objetivos pastorais da Diocese;

b)      Animar os leigos para que sejam presença atuante nos espaços sociais, políticos e eclesiais da Diocese;

c)      Despertar nos leigos católicos a sensibilidade cristã e a consciência crítica e criativa, à luz do Evangelho, para que participem nos conselhos gestores municipais de políticas públicas;

d)      Promover nos leigos católicos a consciência sobre o ecumenismo e o diálogo inter-religioso, em vista de parcerias com outras Igrejas cristãs e lideranças religiosas em relação a temas que reclamam a ação conjunta.

e)      Valorizar a celebração anual do Dia Nacional do Leigo (Festa de Jesus Cristo Rei do Universo), para a promoção do protagonismo dos leigos na missão da Igreja;

f)       Divulgar e promover a espiritualidade e carisma dos diferentes movimentos e associações de vida apostólica atuantes na Diocese;

g)      Promover maior diálogo entre todas as novas comunidades, buscar o intercâmbio de experiências e ajuda mútua a partir de encontros bimestrais e um congresso anual.

Comissão Diocesana para a Ação Missionária e Cooperação Intereclesial
Acesse a página da Comissão

 

OBJETIVO GERAL

Despertar em todas as paróquias e comunidades a consciência de que todo batizado é discípulo–missionário de Jesus Cristo, para fortalecer o anúncio do Evangelho e testemunhá-lo em nossa Diocese.

 

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

a)      Realizar formação diocesana e paroquial, para fortalecer, onde já existe, o COMIPA (Conselho Missionário Paroquial), e criá-lo nas paróquias onde ainda não existe, envolvendo as diversas pastorais e movimentos no trabalho missionário;

b)      Buscar conhecer e criar vínculos com os imigrantes presentes em nossa Diocese, integrando-os na comunidade brasileira e acolhendo-os em nossas paróquias;

c)      Fornecer as paróquias instrumentos básicos (subsídios) para intensificar a animação, organização e ações missionárias, a fim de que a dimensão missionária se torne cada vez mais o elemento primordial de toda a ação evangelizadora.

 

PISTAS DE AÇÃO

a)      Promover o espírito missionário em todas as paróquias, gerando a unidade do povo de Deus, valorizando os diversos carismas das pastorais e movimentos;

b)      Estimular, acompanhar e promover o intercâmbio de experiências positivas realizadas pelas paróquias em relação a infância e adolescência missionárias e outras atividades;

c)      Impulsionar os batizados a testemunharem o Evangelho por meio de suas vidas, para ser fermento de transformação por meio de ações concretas na sociedade;

d)      Despertar e cultivar nas crianças e adolescentes a vocação missionária ao valorizar o testemunho dos santos missionários e missionárias;

e)      Favorecer o protagonismo dos leigos, suscitando na Diocese novas lideranças missionárias;

f)       Realizar animação missionária permanente e, em especial, no mês missionário (outubro), realizando cursos, encontros, semanas de formação, palestras que ajudem aos leigos serem a presença viva da Igreja em todos os setores da sociedade;

g)      Incentivar o estudo e a reflexão em relação à ação missionária para a evangelização inculturada;

h)      Promover formação especifica diocesana para os agentes da pastoral do Dízimo, mostrando a importância de suas três dimensões para a Igreja.

 

Comissão Diocesana para a Animação Bíblico-catequética
Acesse a página da Comissão

 

OBJETIVO GERAL

Implantar uma nova evangelização que possa contribuir de modo mais eficaz ao processo de ação catequética e animação bíblica da pastoral.

Traçar os critérios de ação catequética na Diocese, que tenha fundamento bíblico – litúrgico – vivencial da fé cristã, na centralidade da Pessoa de Jesus Cristo e fazer da leitura, reflexão e meditação orante da Palavra de Deus, o instrumento basilar de toda a ação eclesial evangelizadora, pastoral e missionária.

 

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

a)      A Comissão Diocesana para a Animação Bíblico Catequética vem para responder a este apelo evangelizador da Igreja, delinear uma catequese litúrgica, bíblica e vivencial – fundamentada na metodologia catecumenal de iniciação cristã – e promover a animação bíblica de toda pastoral, levando ao Povo de Deus a Pessoa de Jesus Cristo como Verbo do Pai, em uma ação profundamente ligada à mística evangélico – missionária mais participativa e comunitária, em sintonia com as urgências de ação evangelizadora da Igreja no Brasil (DGAE 2011 - 2015).

b)      Animação Bíblica da pastoral tem por finalidade suscitar, promover e animar a leitura, conhecimento, aprofundamento e reflexão da Palavra de Deus e incentivar a dimensão orante e mística para todos os agentes de pastoral.

 

PISTAS DE AÇÃO

a)      Atuar junto aos catequistas de toda a Diocese para implantação de uma iniciação cristã permanente – modelada pelo processo catecumenal – para crianças, adolescentes, jovens e adultos, em vista da formação de discípulos e missionários de Jesus Cristo;

b)      Assumir a evangelização batismal de famílias que pedem o Batismo para os filhos, na preparação de pais e padrinhos e preparação para a iniciação cristã complementar aos adultos já batizados;

c)      Evangelizar com a utilização de novas tecnologias de comunicação a todas as famílias cristãs para o encontro pessoal com Jesus Cristo e a formação de discípulos e missionários de Cristo em espírito de conversão, comunhão e missão;

d)      Reativar a Escola Diocesana de Catequese para a atualização e formação de catequistas evangelizadores para a iniciação cristã;

e)      Redigir o Diretório Diocesano de Catequese, a partir dos Documentos da CNBB para a Evangelização, como orientação pastoral evangelizadora das Paróquias, adequando a realidade da Diocese;

f)       Incentivar no mês dedicado a Bíblia, nas comunidades e nas famílias, um contato mais intenso com a Palavra de Deus, ao incentivar eventos catequéticos bíblicos;

g)      Promover a animação bíblica da pastoral, com subsídios bíblicos e instrumentos de evangelização que atinjam as dimensões: pastoral, litúrgica e ação social e a promoção da vida. Através de formação, leitura, meditação e oração da Palavra de Deus como fonte de toda a ação pastoral e evangelizadora da Igreja;

h)      Incentivar e favorecer a dinâmica de formação de Círculos Bíblicos nas comunidades, atingindo desde os agentes de pastorais e movimentos, como a todas as famílias, em um movimento missionário de evangelização bíblica – litúrgica;

i)        Formação de agentes de animação bíblica para paróquias para alcançar todos os segmentos da Pastoral na dimensão bíblica de litúrgica;

j)        Criar Subsídios para encontros de espiritualidade bíblica com a prática da experiência pessoal e comunitária da Lectio Divina (Leitura Orante da Palavra), e o aprofundamento pessoal do encontro com Jesus Cristo.

 

Plano de Ação

1ª Fase:  Pré-Catequese = dos 5 aos 7 anos

Meta: educar para os valores da fé, religião, família, pessoa humana;

Pedagogia e didática própria a partir de conteúdo elementar, apresentando histórias da Bíblia (passagens vida de Jesus Cristo) e orações (sinal da cruz, Pai Nosso, Ave Maria, Santo Anjo, etc...);

 

2ª Fase: Eucaristia = dos 7 aos 9 anos

Conteúdos:

Ø  Conhecer a Bíblia

Ø  Conhecer Jesus Cristo e os Evangelhos

Ø  Oração Cristã

Ø  Terço e o Rosário (Mistérios), Salve Rainha;

Ø  Catecismo da Igreja Católica (pontos principais): os mandamentos, introdução aos sacramentos, a oração do Pai Nosso, os artigos da profissão de fé;

Ø  Os mandamentos da Igreja;

Ø  Iniciação a Liturgia (Símbolos);

Ø  Reconciliação e Eucaristia;

Ø  Missa/ Páscoa/ Via Sacra;

Ø  Devoção Mariana e dos Santos.

 

3ª Fase: Pequenos Discípulos de Jesus (depois da Eucaristia)

Conteúdos:

Ø  Seguimento de Jesus

Ø  Ensinamentos de Jesus

Ø  Fé e Vida Cristã

Ø  Sacramentos e a Igreja

Ø  Liturgia e Celebração

Ø  Ano Litúrgico

Ø  Festas e Solenidades

 

4ª Fase: Adolescentes Missionários (preparação ao Crisma)

Conteúdos

Ø  A missão de Jesus

Ø  As Comunidades Cristãs

Ø  A Missa da Igreja no mundo

Ø  Vocações/ Ministérios

Ø  A profissão de Fé

Ø  O Espirito Santo/ Carismas e Serviços

Ø  Batismo e Confirmação

Ø  Purificação/ Iluminação e Mistagogia

Ø  Inserção na Comunidade, participação no Setor da Juventude

Comissão Diocesana para a Doutrina da Fé
Acesse a página da Comissão

 

OBJETIVO GERAL

Prestar assessoria ao bispo diocesano e ao clero local no exercício do Magistério Doutrinal, zelando pela fidelidade da Doutrina e pela integridade da transmissão, promovendo a inteligência da fé, ou seja, a reflexão teológica, de modo que possa responder adequadamente aos questionamentos e desafios atuais.

 

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

a)      Promover a fidelidade à Doutrina da Igreja;

b)      Emitir parecer do ponto de vista doutrinal sobre os subsídios pastorais elaborados na Diocese;

c)      Esclarecer, quando solicitado, questões que dizem respeito à fé e a moral cristãs;

d)      Prestar serviço de conjunto, no campo doutrinário, às paróquias, organismos e pastorais da Diocese.

 

PISTAS DE AÇÃO

a)      Promover e animar a formação bíblico-teológico permanente do Clero e agentes de pastoral em geral;

b)      Realizar semanas de estudo, simpósios, congressos, e entre outros, que contribuam no processo de aprofundamento do conhecimento da fé e doutrina católicas;

c)      Divulgar e envolver as paróquias, organismos e pastorais na realização de tais semanas de estudo, simpósios, congressos;

d)      Contribuir na formação integral dos agentes de pastoral para que estejam em condições de exercer as atividades pastorais com mais segurança e confiantes das razões da fé.

Comissão Diocesana para a Liturgia
Acesse a página da Comissão

 

OBJETIVO GERAL

Promover e fortalecer a participação consciente, ativa e frutuosa de todo o povo de Deus na ação litúrgica com ênfase na formação litúrgica em todos os âmbitos da Diocese.

 

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

a)      Proporcionar às equipes paroquiais de liturgia aprofundamento do conhecimento litúrgico, a partir da Sacrosanctum Concilium às atuais orientações da Igreja;

b)      Promover e dinamizar em âmbito diocesano e/ou regional cursos de canto pastoral;

c)      Trabalhar na formação específica de agentes para os diferentes ministérios litúrgicos (leitores, salmistas, cantores, acólitos, entre outros).

 

PISTAS DE AÇÃO

a)      Realizar, anualmente, curso diocesano de animadores, cantores e instrumentistas litúrgicos;

b)      Promover a formação das equipes paroquiais de liturgia dando atenção especial à qualificação específica de leitores e salmistas;

c)      Elaborar subsídio diocesano para a formação de coroinhas e realizar encontros de formação para os coordenadores paroquiais de coroinhas;

d)      Oferecer as equipes paroquiais de liturgia subsídio simples e acessível sobre noções básicas de liturgia, “Ano Litúrgico”, “Cantos na Liturgia”, “Ministérios na Liturgia”, “Espaços Litúrgicos”, entre outros;

e)      Assessorar as pastorais, organismos e movimentos na preparação e realização de celebrações em âmbito diocesano;

f)       Divulgar e apoiar as Semanas de Formação Litúrgica realizadas pela Faculdade Paulo VI em parceria com os monges camaldolenses;

g)      Dinamizar o processo de aprofundamento da inculturação litúrgica;

h)      Incentivar a caminhada da vida e ação litúrgica na Diocese na perspectiva da Pastoral de Conjunto;

i)        Formação de equipe diocesana com padres e profissionais que oriente critérios artístico-litúrgicos em construções e/ou reformas das Igrejas e espaços celebrativos;

j)        Disponibilizar no site da Diocese o folheto litúrgico para facilitar o acesso das equipes paroquiais de liturgia na preparação das celebrações;

k)      Promover a formação específica de ministros extraordinários da Sagrada Comunhão, da Palavra, das Exéquias, da Acolhida e Testemunhas Qualificadas da Igreja.

Comissão Diocesana para o Ecumenismo e o Diálogo Inter-religioso
Acesse a página da Comissão

 

OBJETIVO GERAL

Promover a unidade dos cristãos e o diálogo inter-religioso em âmbito diocesano, conforme orientações do Magistério da Igreja.

 

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

a)      Criar e organizar a Comissão Diocesana para o Ecumenismo e o Diálogo Inter-religioso;

b)      Realizar, em âmbito diocesano, encontros de formação e atualização sobre ecumenismo e diálogo inter-religioso para agentes de pastoral das paróquias;

c)      Estabelecer parcerias com outras Igrejas e movimentos abertos ao ecumenismo e ao diálogo inter-religioso para a defesa de causas e projetos de caráter ecumênico.

 

PISTAS DE AÇÃO

a)      Promover a presença da dimensão ecumênica e do diálogo inter-religioso em toda a ação pastoral e evangelizadora da Diocese;

b)      Buscar um diálogo mais efetivo com as Igrejas do CONIC presentes na Diocese sobre as questões ético-morais e sociais que exigem uma ação conjunta;

c)      Proporcionar aos agentes de pastoral conhecimento sobre o pluralismo eclesial e religioso no Brasil e na Diocese;

d)      Elaborar o mapa diocesano das expressões religiosas por município;

e)      Incentivar as paróquias para que valorizem a Semana Nacional de Oração para Unidade dos Cristãos, programando atividades com outras Igrejas cristãs;

f)       Animar as paróquias para que realizem a Campanha da Fraternidade Ecumênica estabelecendo um planejamento com as lideranças das Igrejas membros do CONIC;

g)      Produzir um subsídio popular sobre a importância do ecumenismo e o diálogo inter-religioso na missão da Igreja hoje.

 

Comissão Diocesana para Serviço da Caridade, da Justiça e da Paz
Acesse a página da Comissão

 

OBJETIVO GERAL

Contribuir à luz da Palavra de Deus e das Diretrizes Gerais da CNBB, para a transformação dos corações e das estruturas da sociedade em que vivemos, tendo em vista da construção de uma nova sociedade, o Reino de Deus.

 

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

a)      Promover ações voltadas para a transformação da sociedade, à Luz da Palavra de Deus e da Doutrina Social da Igreja;

b)      Aprofundar a integração entre oração e ação, fé e política, religião e compromisso social;

c)      Fazer a ponte entre a Igreja e a sociedade, buscando, em parceria com outras entidades e movimentos sociais a construção de uma sociedade justa e solidária;

d)      Marcar presença em realidades concretas e específicas de exclusão social.

 

PISTAS DE AÇÃO

a)      Promover a ação e a presença proféticas da Igreja na sociedade, especialmente, onde a dignidade e a vida das pessoas é negada ou ameaçada;

b)      Suscitar, formar, animar e acompanhar lideranças comprometidas com projetos interativos de evangelização, de promoção da paz e de inclusão social;

c)      Facilitar a comunicação e a articulação entre as pastorais sociais e os organismos e regiões pastorais da Diocese, em consonância com as Diretrizes da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil 2011-2015, através de um Fórum Diocesano;

d)      Promover a articulação e a missão específica das diversas Pastorais Sociais nos dez municípios da Diocese;

e)      Defender e promover o respeito aos direitos humanos e assegurar a participação da Igreja na construção de uma sociedade justa e solidária, à luz do Evangelho e do ensino social da Igreja;

f)       Animar a participação de todos os agentes de pastoral em atividades concretas de responsabilidade da pastoral social como o Grito dos Excluídos, Semana Social, 1º de maio, entre outros;

g)      Encorajar as paróquias e comunidades para que colaborem na criação e participem nos conselhos gestores municipais de políticas públicas que visem à superação da exclusão social;

h)      Buscar a articulação das pastorais sociais com outros movimentos e organizações da sociedade, ao partilhar os mesmo objetivos e valores em defesa da vida, da dignidade e dos direitos de todos;

i)        Apoiar todas as iniciativas das pastorais sociais, em nível regional e paroquial;

j)        Apoiar grupos e movimentos de pastoral social, sobretudo de caráter popular e voltados para a defesa dos interesses das classes mais necessitadas;

k)      Incentivar a criação de grupos paroquiais em cada município da Diocese que acompanhem o trabalho do Legislativo e do Executivo, juntamente com outras organizações não governamentais para evitar a corrupção e a impunidade, assegurando o direito à vida e o respeito à dignidade da pessoa.

 

Comissão Diocesana para a Cultura e a Educação
Acesse a página da Comissão

 

OBJETIVO GERAL

Promover o diálogo com cultura atual, zelando pela educação religiosa das crianças, adolescentes e jovens de nossa sociedade, que frequentam a rede educacional pública, particular e católica, atingindo o meio universitário e preparando professores para ensino religioso nas escolas, fornecer a todos os instrumentos para que valorizem os valores cristãos (Doutrina cristã? Dogmas? Vida sacramental? Catecismo?).  

 

1ª Prioridade: Crianças e Jovens

OBJETIVO ESPECÍFICO

Marcar, onde for possível, uma presença de Igreja ministerial junto à Juventude nas Escolas de Ensino, Fundamental, Médio, Superior e Universitário e implantar em cada município a Pastoral da Educação e a Pastoral Universitária.

 

PISTAS DE AÇÃO

a)      Partilhar as ações e atividades religiosas que já existem nos colégios católicos ou públicos;

b)      Fazer o reconhecimento dos colégios administrados por Instituições religiosas ou católicas de nossa Diocese;

c)      Proporcionar aos alunos um subsídio de reflexão, formação e educação na fé para discutir e aprofundar os valores humanos e cristãos, os ideais de justiça, liberdade e respeito;

d)      Criar nos colégios católicos grupos de vivência cristã (Leitura da Palavra, Círculo bíblico, retiros) a fim de ajudar os alunos no discernimento vocacional e na elaboração de um projeto pessoal de vida que acompanhe o amadurecimento deles na fé.

e)      Indicar o caminho para que eles abracem o carisma e a espiritualidade dos Movimentos católicos vinculados à Pastoral Juvenil da CNBB.

 

2ª Prioridade: Pais e Professores, educadores da Fé.

OBJETIVO ESPECÍFICO

Os pais e os professores possuem uma vocação especial e cada um deles deve marcar com o exemplo e o ensinamento a formação das crianças e da juventude.

 

PISTAS DE AÇÃO

a)      Implantar nos colégios católicos a Escola da Fé e oferecer aos professores e pais a possibilidade de frequentá-la.

b)      Comemorar nos colégios católicos o Dia dos Pais e dos Professores com a Santa Missa.

c)      Incentivar os pais e professores a serem agentes de pastoral em suas respectivas paróquias;

d)      Promover encontros de Jovens Cristãos nas escolas.

 

Comissão Diocesana para a Vida e Família
Acesse a página da Comissão

 

OBJETIVO GERAL

Servir e promover em sintonia com toda a Igreja e a sociedade, a cultura da vida e do amor, dedicando-se à defesa da vida e da família.

 

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

a)      Proporcionar aos agentes da pastoral familiar o aprofundamento de temas Bioéticos, a luz de princípios bíblicos, teológicos, morais e éticos para que acompanhem projetos de Lei em tramitação no Congresso Nacional;

b)      Proporcionar aos agentes da pastoral familiar das Equipes de Nossa Senhora (ENS) e casais do Encontro de Casais com Cristo (ECC), o aprofundamento de temas Bioéticos, políticos, jurídicos e valores da família, a luz de princípios teológicos, morais e éticos para que acompanhem projetos de Lei que estão correndo em todos os âmbitos (Câmara, Senado, etc...);

c)      Promover a consciência sobre o papel sociotransformador e fundamental da família, seja na ação evangelizadora, seja na sociedade enquanto tal;

d)      Capacitar agentes de pastoral familiar em âmbito diocesano, para que possam colaborar na formação da pastoral familiar nas paróquias;

e)      Integração de carismas entre a pastoral familiar, Equipes de Nossa Senhora e Encontro de Casais com Cristo.

 

PISTAS DE AÇÃO

a)      Formar uma equipe diocesana que estude e torne acessíveis a todos os critérios de valor e juízos avaliativos a respeito dos avanços científicos e biotecnológicos, com especial atenção à defesa e promoção da vida humana e sua dignidade;

b)      Retomar a Comissão Diocesana em Defesa da Vida, ampliando a participação da pastoral familiar e movimentos, para que estude e torne acessíveis a todos os critérios de valor e juízos avaliativos a respeito dos avanços científicos e biotecnológicos, com especial atenção à defesa e promoção da vida humana e sua dignidade, proporcionando formações a respeitos desses assuntos;

c)      Valorizar a Semana Nacional da Família para promover em toda a Diocese a reflexão e o aprofundamento de temas concernentes à vida da família e ao matrimônio, em sintonia com o Magistério da Igreja, ampliar a aquisição e divulgação do subsídio Hora da Família nas paróquias, incentivando uma maior participação de todo os agentes e famílias das comunidades;

d)      Criar um serviço de orientação e subsídio específico para o trabalho com casais em segunda união nas paróquias e o setor dos casos especiais, na linha de acolhimento e da atitude do bom Pastor, inclusive de pessoas viúvas;

e)      Implantar a pastoral familiar em todas as paróquias para que possam conhecer o trabalho em todos os setores, inclusive, em casos especiais, e estudar os subsídios existentes da Comissão Nacional para a Família da CNBB, com especial atenção aos casos especiais, de forma específica aos casais em segunda união, na linha de acolhimento e da atitude do bom Pastor;

f)       Mobilizar todas as paróquias para que celebrem a Semana Nacional da Vida e o Dia do Nascituro, preparando cartaz e subsídios próprios, utilizando a Hora da Vida da Comissão Nacional para a Família da CNBB nas paróquias, realizando manifestações públicas em favor da vida e defesa da família, e ainda, Missa de Valorização da Vida e do Nascituro na Catedral de Sant’Ana, encerrando a Semana da Vida;

g)      Intensificar e aprimorar a pastoral familiar nas regiões e paróquias da Diocese, aprofundando a integração dos agentes que trabalham nesta área;

h)      Articular o diálogo e a reflexão com movimentos e serviços familiares, ao valorizar e promover os carismas, participar dos encontros a fim de estabelecer sempre melhor o entrosamento com a pastoral familiar diocesana, fortalecer os vínculos, organizar seminários, congressos e feira pastoral com divulgação dos trabalhos desenvolvidos;

i)        Preparar orientações básicas, diretrizes para a atuação dos agentes de pastoral familiar em relação à preparação de noivos e outras atividades da área, priorizando para que haja uma orientação padronizada, tendo como base o Guia de Preparação à Vida Matrimonial da CNBB e o Guia de Implantação da Pastoral Familiar;

j)        Promover eventos diversos por ocasião da Semana Nacional da Família, que envolva todas as paróquias em suas respectivas regiões pastorais na organização e realização;

k)      Desenvolver esforços da pastoral familiar em todas as camadas sociais, para despertar e formar agentes, com formações permanentes para criar multiplicadores que possam atuar com mais eficácia nas camadas menos favorecidas e na divulgação;

l)       Proporcionar formação específica aos agentes da pastoral familiar e intercâmbio sobre as experiências realizadas nas paróquias;

m)     Tornar acessível as informações sobre as leis que estão correndo em todos os âmbitos (Câmara, Senado), a todas as pessoas através dos diversos meios de comunicação. Exemplo: panfletos, formações e outros;

n)      Apoiar a implantação da Pastoral Familiar em todas as paróquias.

 

 

Serviço de Acompanhamento à Gestação e Vida

 

Trabalho desenvolvido em nove encontros realizados mensalmente, coincidindo com cada mês de gestação, na casa das gestantes com a participação da família, visando ao acolhimento da nova vida em gestação, dom de Deus à família e à sociedade. Finalizando com uma sugestiva Celebração da Vida onde os pais e a família são encaminhados à paróquia, para preparação do Batismo da criança.

 

1º encontro: BOAS NOTÍCIAS

Como está sendo acolhida esta notícia na família?

 

2º encontro: A VIDA QUE CHEGA

Uma vida que está sendo construída pelos pais e que deve ter cuidados especiais.

 

3º encontro: SOMOS PAIS

Da convivência de casal para a realidade de pai e mãe.

 

4º encontro: DIÁLOGO A TRÊS

É preciso criar ambiente de diálogo externo para se realizar o diálogo interno com o filho.

 

5º encontro: AMOR E CUIDADO

É preciso cuidados especiais para nosso filho ser pessoa plenamente.

 

6º encontro: CRESCER COM NOSSO FILHO

É preciso reaprender a conviver juntos para reconstruir um lar equilibrado e feliz.

 

7º encontro: VIDA NOVA PARA NÓS

É preciso “reconstruir” nosso lar.

 

8º encontro: NÓS E O BEBÊ SOMOS UM

A unidade familiar se realiza na comunhão de corações e no amor de pai e mãe.

 

9º encontro: DEUS ABENÇOA ESTE LAR

Reflexão de todo o processo de gravidez e da presença atuante de Deus neste caminho familiar.

 

CELEBRAÇÃO DA VIDA:

Se celebra a vida que chega em ambiente de acolhida, alegria, festa e espiritualidade.

 

Comissão Diocesana para a Juventude
Acesse a página da Comissão

 

 

OBJETIVO GERAL

Promove a articulação do setor juventude na Diocese, que reúne um diálogo com a pastoral da juventude, movimentos juvenis, congregações religiosas, novas comunidades que trabalham com jovens. Propondo orientações para a evangelização da juventude, ao respeitar o protagonismo juvenil, a diversidade dos carismas, a organização e a espiritualidade.

 

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

a)      Intensificar, em âmbito diocesano, a opção afetiva e efetiva da Igreja pela juventude, na busca conjunta de propostas concretas que favoreçam uma verdadeira ação evangelizadora da juventude;

b)      Favorecer a integração e o diálogo entre os segmentos juvenis da Diocese;

c)      Colaborar com a pluralidade de pastorais, grupos, movimentos e serviços na Diocese, visando um trabalho de conjunto que tenha os jovens como sujeitos e protagonistas na ação evangelizadora, sobretudo, dos outros jovens;

d)      Proporcionar à juventude uma formação integral que considere o jovem como um todo, evitando reducionismos que distorçam a proposta da educação da fé numa direção psicologizante, espiritualista ou politizante, sendo expressão eclesial e social da diversidade juvenil;

e)      Propor diretrizes, metas, prioridades e atividades comuns para a evangelização, considerando as necessidades de cada realidade e a identidade de cada segmento juvenil.

 

PISTAS DE AÇÃO

a)      Capacitar em âmbito diocesano à formação de assessores e coordenadores que estejam à frente do processo de evangelização dos jovens, em vista da unidade na Diocese;

b)      Valorizar, promover, acompanhar e acolher a organização dos movimentos juvenis nas paróquias e comunidades, oferecendo-lhes pistas concretas que contribuam com o seu crescimento;

c)      Incentivar as diferentes expressões culturais existentes como meio de evangelização do jovem, e aproveitar a pedagogia de inculturação (dança, teatro, esporte, bandas, arte, etc);

d)      Celebrar a Jornada Diocesana da Juventude (JDJ) e o Dia Nacional da Juventude (DNJ), organizando eventos em âmbito diocesano e/ou regional que envolvam em todas as etapas as várias forças que trabalham com a juventude local;

e)      Incentivar e orientar os jovens para que façam experiências significativas na prática social, favorecendo-lhes o amadurecimento da solidariedade, partilha e corresponsabilidade;

f)       Planejar e avaliar as ações conjuntas com as pastorais e movimentos juvenis, a fim de fortalecer a articulação específica em âmbito diocesano nas diversas instâncias;

g)      Organizar encontros de formação espiritual e retiros que proporcionem aos jovens experiências de oração pessoal, leitura orante da Palavra de Deus (Lectio Divina) e maior clareza sobre a fé e a doutrina da Igreja;

h)      Programar atividades em regionais e paroquiais que despertem nos jovens o espírito missionário, ecumênico e político para que aqueles que participam dos movimentos juvenis, se tornem discípulos missionários;

i)        Proporcionar aos jovens momentos de reflexão com profissionais da área da saúde e da segurança pública sobre temas relacionados aos riscos próprios da faixa etária.

 

Comissão Diocesana para a Comunicação Social
Acesse a página da Comissão

 

OBJETIVO GERAL

Organizar a pastoral da comunicação social (Pascom) em âmbito diocesano com a participação de profissionais da comunicação, agilizando, integrando e animando a comunicação a partir da caminhada realizada pelos diversos organismos e instâncias da Diocese.

 

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

a)      Promover a criação da pastoral de comunicação social (Pascom) em todas as paróquias da Diocese;

b)      Realizar encontros de formação e animação de agentes da pastoral da comunicação em âmbito diocesano;

c)      Valorizar o Jornal Diocesano “A Caminho” e os diversos sites, boletins e informativos paroquiais;

d)      Incentivar as paróquias para que utilizem na ação evangelizadora as novas tecnologias: internet, twitter, facebook e as mídias tradicionais: rádios, jornais, entre outros.

 

PISTAS DE AÇÃO

a)      Motivar e animar os agentes da Pascom nas paróquias onde já atuam e provocar o surgimento onde ainda não existem;

b)      Proporcionar cursos e encontros teóricos e práticos de comunicação aos agentes, assessorados por profissionais e técnicos da área;

c)      Articular o intercâmbio de experiências feitas pelas paróquias na área de comunicação com vistas à maior unidade na pastoral da comunicação;

d)      Na celebração do Dia Mundial da Comunicação incentivar as paróquias para que reflitam sobre os desafios da comunicação a partir da mensagem do Papa para a data;

e)      Favorecer a formação específica dos agentes da pastoral litúrgica sobre a relação “Liturgia e Comunicação” em parceria com a Comissão Diocesana de Liturgia;

f)       Valorizar e incrementar o Folheto Litúrgico Diocesano como instrumento valioso de comunicação da vida da Diocese;

g)      Reformular o Jornal “A Caminho”, criando novo formato com mais páginas para que seja fonte de formação para todos os agentes de pastoral;

h)      Motivar, estimular os agentes paroquiais para que enviem a Pascom Diocesana notícias e informações sobre eventos e caminhada pastoral paroquial;

i)        Promover formação para os agentes paroquiais da Pascom online, cursos à distância, links com arquivos de download;

j)        Realizar “café da manhã” do bispo diocesano e profissionais dos meios de comunicação social que atuam nos municípios da Diocese por ocasião do Dia Mundial da Comunicação;

k)      Ser referência para as empresas de comunicação presentes na Diocese e órgãos da comunicação católica (TV, rádio, jornais, portais, entre outros).